sábado, 2 de janeiro de 2010

Poesia Lusitana!

Esta semana é a vez do multifacetado Jorge de Sena.

Ascensão
Nunca estive tão perto da verdade.
Sinto-a contra mim,
Sei que vou com ela.

Tantas vezes falei negando sempre,
esgotando todas as negações possíveis,
conduzindo-as ao cerco da verdade,
que hoje, côncavo tão côncavo,

sou inteiramente liso interiormente,
sou um aquário dos mares,
sou apenas um balão cheio dessa verdade do mundo.

Sei que vou com ela,
sinto-a contra mim,
nunca estive tão perto da verdade.

Jorge de Sena, in 'Perseguição'

2 comentários:

Mona Lisa disse...

Boa música e um poema que nos deixa a pensar. Existe algo melhor?:) beijinho

Angelo Sá disse...

Sem duvida dos maiores prazeres da vida :)
Apenas podemos complementar com uma perfeita companhia.
bjs